24 de Novembro de 2009

Este post está há demasiado tempo na caixa dos rascunhos e, pelas horas de pura diversão que o assunto me proporcionou até agora, merece com todo o mérito figurar neste espaço como post efectivo.

 

30 Rock é uma série de comédia na NBC. Das boas. Tão boa que arrisco dizer que, desde Seinfeld, não se via nada com tanta piada e qualidade vindo da estação do peacock.

 

Tudo gira em torno do TGS with Tracy Jordan, programa semanal da grelha da própria NBC. A produção do programa serve de trama para os episódios. Actores, argumentistas, secretários, estagiários, realizadores e gestores, tudo ajuda na comédia que se gera nos escritórios e cenários onde é feito o TGS.

 

 

Tentando identificar os factores que tornam 30 Rock num digno vencedor de 5 Globos de Ouro e 14 Emmys, começo por falar um pouco do elenco. A qualidade dos actores é inequívoca. Os nomes em destaque são claramente os enormes Alec Baldwin e Tina Fey, ele interpreta Jack Donaghy, o convicto capitalista chefe da estação, e ela é Liz Lemon, a responsável pelo programa. A espectacularidade emergente de Jack parece feita à medida para a desajeitada Liz e está assim criada a dupla mais hilariante dos (pelo menos meus) actuais tempos televisivos. 

 

Tracy Morgan (a super estrela Tracy Jordan, dá nome ao programa e é um tresloucado adorável), Jack McBryer (o estagiário Kenneth Parcell, é a pessoa mais correcta e ingénua do planeta, uma jóia de moço) e Jane Krakowski (Jenna Maroney, uma actriz com manias de grandeza à procura do sucesso mundial) são as melhores das restantes pérolas contidas no elenco.

 

Outro delicioso pormenor são os convidados. Em 30 Rock já apareceram Jerry Seinfeld, Oprah Winfrey, Conan O'Brien, Al Gore, John McEnroe entre outros. São sempre introduzidos com uma pertinência fantástica no episódio face ao papel que assumem na sociedade.

 

Tina Fey, para além de actriz principal, é a criadora de 30 Rock. Tina vai-se aos poucos assumindo como uma espécie de rainha da comédia e fico a torcer para que lá chegue rapidamente.

 

Por último, fica a referência para o carácter satírico da série. Sociedade, política e a própria televisão são as vitimas mais frequentes da inteligente critica feita por 30 Rock.

 

Para que nem sequer hesitem em ver as 3 temporadas que até agora saíram, fica o cheirinho:

 

 

publicado por Rui Magalhães às 21:47
22 de Setembro de 2009

Sim, deviam mesmo.

 

Só assim se corrigiria a tremenda injustiça constituída pelo facto de não haver nenhum Emmy em prateleiras tão merecedoras como as de Steve Carell, Michael C. Hall,  Jemaine Clement, Neil Patrick Harris, Rainn Wilson ou Jim Parsons.

 

 

Toda a gente que acompanhe regularmente The Office, Dexter, Flight of the Conchords, How I Met Your Mother e The Big Bang Theory, tem plena consciência que estes talentosos rapazes também devia levar qualquer coisinha dourada para pôr em cima da lareira.

 

Nos últimos anos a coisa ainda anda mais negra para estes senhores uma vez que a hegemonia 30 Rockiana / Mad Maniana está perfeitamente instalada e pronta para perdurar.

 

Meus senhores, se por miraculoso acaso estão a ler isto e percebem português, fiquem desde já que, apesar de Emmy's não ser o vosso forte, têm na minha humilde pessoa uma admirador para toda a vida.

 

Muitos parabéns.

publicado por Rui Magalhães às 21:32
03 de Agosto de 2009

Só de pensar que pérolas destas vão não tarda estar alojadas na minha box da MEO, todo o meu eu rejubila de contentamento.

 

 

Vivam os "Ídolos" pah!

publicado por Rui Magalhães às 02:13
26 de Julho de 2009

Huge news: a RTP Memória está a passar novamente 'Allo 'Allo, e que grande série se lembraram os senhores de trazer de volta.


'Allo 'Allo passa-se na França invadida por alemães durante o período da Segunda Grande Guerra.

 

 

Dificilmente alguma coisa torna engraçado um tema tão negro como este mas 'Allo 'Allo vai muito mais longe e usa-a como cenário para uma comédia completamente hilariante.

 

Não há uma única personagem desinteressante na trama que gira à volta de René Artois, o desgraçado que tem de lidar com a mulher, sogra, amantes, gestapo, oficiais alemães, resistência francesa, um inglês disfarçado de policia e o que de mais aparecer no seu acolhedor café.

 

Arrisco-me a dizer que tudo é genial nesta série da BBC. Os planos mirabolantes da resistência, a voz deliciosa (NOT) de Edith, o peculiar agente da gestapo Herr Flick e o seu ajudante Von Smallhausen, a competição dos oficiais alemães para ver quem é o mais inapto para a guerra, etc, etc, etc...

 

Nunca a guerra foi tão divertida.

 

 

Se o caríssimo leitor estiver neste momento a amaldiçoar o ordenado que não lhe permite pagar a inscrição dos canais catitas da Zon/Meo/whatever, tranquilize a alma e clique aqui.

publicado por Rui Magalhães às 00:52
24 de Julho de 2009

As férias de Verão trazem de volta um ritual que consiste em: 1 - ligar o disco rígido arcaico ao mac; 2 - descarregar a saga completa de Star Wars; 3 - apanhar uma barrigada descomunal de sabres de luz, siths, speeders, jedis, dróides, clones e todas aquelas coisas que o senhor Lucas inventou só para me fazer feliz.

 

 

Depois da hexalogia épica arrumada, virei-me para a Clone Wars, uma série de animação que estreou durante o ano passado (em 2003 estreou uma série análoga mas em cartoon).

 

A acção decorre durante a guerra dos clones (no shit!), um periodo que, na timeline referente aos filmes, se encaixa entre o Episódio II (O Ataque dos Clones) e o Episódio III (A Vingança dos Sith), e tem alguns pormenores bastente interessantes.

 

São apresentados alguns jedis até agora desconhecidos (pelo menos para mim) indo o destaque para a padawan de Anakin, a jovem Ahsoka Tano (o facto de a palavra 'catano' estar implicita no nome revela uma clara anomalia na Força).

 

Podemos desfrutar ainda uma enchorrada deliciosa de pormenores como o comportamento (muitas das vezes cómico) dos dróides de combate, as constantes e saudáveis picardias de Obi-Wan e Anakin e uma versão muito mais humanizada dos clones da Républica.

 

Do lado separatista temos os não surpreendentes General Grievous, Conde Dooku e Lord Sidious, sendo a novidade a freak careca danada para a pancadaria, Asajj Ventress. Os senhores do Dark Side tentão então fazer a vida negra a Anakin, Obi-Wan e Ahsoka que andam pela galáxia a despedaçar metal da Aliança.

 

Recomendo então Star Wars Clone Wars aos geeks que por aqui passem, may the force be with us.

 

publicado por Rui Magalhães às 16:24

Bookmark and Share

pesquisar neste blog
 
Internétes
Subscrever

subscrever feeds
últimos comentários
Grande serie
Olá! Eu ando desesperado para ir ver arctic monkey...
LOLOL o videozinho n é das melhores cenas (estava ...
Tenho 8! Quem quer?
gostava de ter um convite sff =) andcardster@gmail...
Rui Pedro Magalhães:Tenho o prazer de acrescentar,...
Que geek!
As mães são aquelas que nunca abandonam os filhos....
aquele gajo de fato na tua timeline é muita giro! ...
blogs SAPO
mais sobre mim
Favoritos
Mercado